quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

FIQUENE MORRE EM SÃO LUIS




Faleceu, no início da noite deste domingo (02), em São Luís, o ex-governador do Maranhão, José de Ribamar Fiquene (80 anos). Ribamar Fiquene estava internado no hospital UDI. Ele lutava, há muito tempo, contra um câncer no pulmão.

Até o momento, nem o hospital, nem os familiares quiseram falar sobre a morte do ex-governador.

Trajetória

José de Ribamar Fiquene nasceu em Itapecuru-Mirim, em 27 de dezembro de 1930, filho de Wady Fiquene e Delaê Fiquene, mudou-se para Imperatriz, no Maranhão.

Formou-se em Direito, na Faculdade de Direito de São Luís, nos anos 50. Em seguida, retornou para Imperatriz, onde iniciou carreira política.

Carreira Política

Foi prefeito do município maranhense de Imperatriz, durante período de 1983 a 1988. Em 2 de abril de 1994, quando Edison Lobão se afasta do governo do Estado do Maranhão para concorrer ao Senado, Ribamar Fiquene assume o governo até 1º de janeiro de 1995.

Foi senador pelo Maranhão por três vezes. É membro da Academia Imperatrizense de Letras. Também são de sua autoria, a letra e a música do hino da cidade de Imperatriz.

Escritor e empresário, José de Ribamar Fiquene foi, também, promotor público, juiz de direito, professor e reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Ele era casado com Zenira Massoli Fiquene, e deixa oito filhos.

JOSÉ DE RIBAMAR FIQUENE, Magistrado, professor, músico, político e escritor maranhense. Prefeito de Imperatriz de 1º de janeiro de 1983 a 31 de janeiro de 1989, quando a cidade teve o maior crescimento cultural em sua história. É o autor da letra e música do Hino de Imperatriz, escolhido em concurso público em 1972. Ex-juiz de Direito da Comarca de Imperatriz nos anos 1970. Pioneiro na educação superior em Imperatriz, quando trouxe, na década de 70 do século passado, os primeiros cursos superior.

MUITA COMOÇÃO NO ENTERRO DE FIQUENE



O ex-governador Ribamar Fiquene é enterrado no cemitério Jardim da Paz, estrada de São José de Ribamar, MA-201. Centenas de pessoas, entre familiares, amigos e políticos acompanharam o cortejo fúnebre que saiu de carro da Assembleia Legislativa, no Cohafuma, e seguiu para o cemitério.

O que marcou o sepultamento do ex-governador foi a comoção de amigos e familiares, que proferiram vários cânticos e homenagens durante o enterro do político.

Após a chegada do corpo de Fiquene ao Jardim da Paz, várias pessoas ainda deram o último adeus ao ex-governador, senador, escritor, professor e reitor da UEMA, que foi sepultado no fim da manhã desta segunda-feira.
Na segunda-feira, 3 de janeiro de 2011 houve muita comoção no enterro de Fiquene.


Fonte: http://www.pnegrao.com.br/2011/01/fiquene-morre-em-sao-luis.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário