sábado, 2 de julho de 2011

Grandes empreendimentos no MA não trazem empregos

POR OSWALDO VIVIANI (Jornal Pequeno)

A vinda, nos últimos tempos, de grandes empreendimentos para o Maranhão – alguns com obras já em andamento, como a refinaria da Petrobras, em Bacabeira, a hidrelétrica de Estreito e a termelétrica, em São Luís – não tem refletido no aumento do saldo (diferença entre contratações e demissões) do emprego formal no estado. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Maranhão teve, no mês de maio, saldo de apenas 24 empregos – o pior desempenho entre as 24 unidades da federação (23 estados mais o Distrito Federal) que obtiveram saldo positivo. No mês passado, foram contratadas no estado 16.225 pessoas e demitidas 16.201.



O Maranhão só superou os estados que tiveram saldo negativo: Alagoas (-2.228), Roraima (-679) e Rio Grande do Norte (-155). Depois do Maranhão, o Distrito Federal e o Amapá foram as unidades da federação que apresentaram os menores saldos positivos de empregabilidade do país, em maio: 38 e 198, respectivamente.
A Bahia foi o estado do Nordeste com o maior saldo positivo: 11.710 (75.187 admissões e 63.477 desligamentos).
Em São Paulo, o saldo de empregabilidade do mês passado foi de 86.737 (612.234 contratações e 525.497 demissões) – o maior do país – e no Brasil todo as contratações também superaram as demissões: o saldo positivo foi de 252.067 (1.912.665 novos vínculos e 1.660.598 desligamentos).
Fonte: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário